<$BlogRSDUrl$> Site
Meter

Tem como objectivo criticar o estado actual das coisas e tentar acordar esta sociedade de memória curta.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Olha o desequilibro da balança comercial

O nosso sistema Judicial anda pelas ruas da amargura e como não consegue condenar ninguém por crimes graves temos que tomar medidas radicais. Temos que dar algum prestigio às nossas prisões e, vai daí, aparece sempre um iluminado com ideias brilhantes:

«Portugal está disponível para receber prisioneiros de Guantanamo», garante ministro Luís Amado (tsf)

Como eu o compreendo


Guilherme Silva, ex-líder parlamentar do PSD, sugeriu, esta terça-feira, no Fórum TSF, que haja plenários da Assembleia da Republica apenas à terça, quarta ou quinta-feira, para evitar o problema das faltas dos deputados que saem mais cedo para o fim-de-semana. (tsf)

Dois dias para trabalhar e cinco para descansar não está nada mal. Também posso aderir a este movimento - Trabalhe 2 descanse 5 (T2D5)?

Ser deputado e ter que assistir ás sessões parlamentares dá cá uma trabalheira...

terça-feira, dezembro 09, 2008

Uma revolta faz falta

Ao ver as imagens que nos chegam da Grécia é fácil perceber que a morte do jovem (que é de lamentar) foi apenas o acender do rastilho num momento explosivo que se vive no país.
Milhões de euros do erário público foram desviados pelas elites de uma classe política altamente corrupta e, com o conhecimento público, tudo se faz para esconder a verdade. Já no Verão, os gregos tinham visto as suas florestas arderem sem que nada fosse feito para combater tal calamidade. Agora, a crise global, lá como em muitos outros sítios, serve de desculpa para tudo menos para ajudar as pessoas em dificuldade. Salvam-se os bancos geridos de forma duvidosa e irresponsável com aval do Estado enquanto vários outros sectores se vão afundando. O desemprego cresce e as falências alastram de forma preocupante.
Por outro lado, na Grécia temos um forte movimento anárquico que encontra aqui terreno fértil para fomentar a revolução social.

E de repente, dou por mim a questionar-me se haverá algum movimento anárquico em Portugal?
É pá, calma lá que nós aqui somos todos pacíficos e uns porreiros logo não é preciso ir para a rua atirar pedras uns aos outros ou destruir a propriedade alheia. Basta umas manifs diárias, algum achincalhamento dos nossos corruptos, incompetentes e afins de modo a que estes sintam que o dinheiro dos nosso impostos não é para esbanjar de qualquer forma. Desconfio que só à pedrada mas, vá lá, comecemos pela forma mais pacifica que eu sou português.

Bem sei que é apenas um devaneio e que nunca nada disto irá acontecer. Afinal nós são somos assim - exigentes, responsáveis.
É verdade que à séculos que nós não vivemos em democracia. Depois da Inquisição, o absolutismo, a ditadura e depois... bem, depois do 25 de Abril certamente muito mudou. Mas, cada vez mais sinto a minha liberdade limitada e o estado da nossa democracia (será que ainda se pode chamar de democracia?) tem vindo a deteriorar-se.

Já ia sendo tempo de termos um Estado em que as pessoas o pudessem ver como uma pessoa de bem que trabalha para o bem comum. Continua a sonhar...eh eh

Eu não vi nada!

Hoje, entre as 14:50 e as 16:36, passou-se algo de terrível em Portugal.
Em menos de duas horas tudo mudou:

14:50 - O Governador do Banco de Portugal disse hoje que a economia portuguesa não se encontra em recessão técnica... (rtp)

16:36 - O governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, admitiu hoje que Portugal deverá chegar ao final do ano em recessão técnica... (publico)

O nosso amigo "Hesitâncio" não se consegue decidir.

De regresso... ou talvez não!

Passado tanto tempo, apesar de tentar resistir, não tenho conseguido conter a minha voz crítica.

quarta-feira, outubro 18, 2006

Ainda o aumento da electricidade...

Quero aqui retratar-me publicamente e pedir, humildemente, desculpa por ter sido um menino mal comportado e ter consumido electricidade sem ter pedido à EDP que me aumentasse a tarifa. Espero conseguir pagar todo o montante em dívida o mais rapidamente possível!

Quero ainda pedir desculpa por estar a comprometer os lucros da EDP que o ano passado, talvez devido ao meu descuido, apenas lucrou 1.071.100.000€.

Peço desculpa por estar a pagar apenas 10,1 cêntimso/kwh enquanto num tarifário equivalente da Hidrocantábrico, em Espanha, se paga 8,6 cêntimos.

Peço desculpa por não perceber porque estamos a pagar 23 cêntimso/kwh pela energia vinda de fontes renováveis. Não era suposto este tipo de energia pagar-se a ela própria?

Peço desculpa por ter influenciado António Guterres a baixar as tarifas a seguir à penúltima fase de privatização da EDP.

Talvez, por dificuldades congnitivas, não consiga perceber se depois do défice estar pago o preço da electricidade voltará a baixar?

Já agora... não foi este governo que disse que não haveria aumento de impostos em 2007?
Desculpem, se calhar fui eu que percebi mal...




Governo explica subida da electricidade


Consumidor esteve vários anos a pagar menos do que devia, diz secretário de Estado

O secretário de Estado Adjunto da Indústria e da Inovação, António Castro Guerra, declarou que "a culpa" do aumento de 15,7 por cento da electricidade para os consumidores domésticos em 2007 é do próprio consumidor, porque esteve vários anos a pagar menos do que devia. A DECO contrapõe, afirmando que a culpa dos aumentos é dos "sucessivos Governos".

Em declarações à rádio TSF, António Castro Guerra considera que em última análise a culpa deste aumento, que reconheceu ser grande, é dos consumidores.
Até este ano a lei impedia uma actualização de preços acima da inflação e isso criou um défice tarifário que, na opinião de Castro Guerra, "só pode ser imputado aos consumidores".

"São os consumidores que devem este dinheiro. Não é mais ninguém", disse o secretário de Estado à TSF, considerando que este "foi quem mais consumiu tarifas no passado e isso gerou défice".

in Lusa

terça-feira, agosto 08, 2006

Rica Prenda??
Sinceramente, espero que tenha sido prenda da AutoEuropa.
Pois, se não foi, ficamos todos a pensar que se continua a gozar com o dinheiro de quem sustenta este Portugal.
Parece que quem sempre teve razão é quem não paga impostos.



Até sempre
O OlhoVivo

segunda-feira, julho 17, 2006

Caixa Geral de Depósitos financia centro de estágio


Esta entidade bancária foi o principal financiador do Benfica para a construção do Centro de Estágio, pelo que o ‘naming’ e o cartão de crédito inserem-se num pacote financeiro que permitirá ao clube ter condições mais vantajosas na amortização da dívida.(link)

Porquê?


Sendo a CGD uma instituição estatal deveria tratar de igual forma todos os clubes e não se prestar a estes actos de misericórdia. O Estado já o fez uma vez, aceitando acções não cotadas como garantia de uma dívida ao fisco, e não o deveria repetir.
Se eu prometer que trago vestida uma t-shirt com publicidade à CGD também vou ter condições mais vantajosas na amortização das minhas dívidas ?

O poder está nas mãos dos consumidores



Hoje, a General Motors anuncia o encerramento da sua unidade fabril em Portugal transferindo a sua produção para Saragoça.
Amanhã , e como já se especula, encerrará também a unidade espanhola e mudar-se-á para a Rússia e/ou Índia.

Está na altura de nós, os consumidores, fazermos valer o nosso poder e darmos uma lição a esta gente. Temos que deixar de ter uma atitude passiva em relação a tais comportamentos e boicotar estas e outras marcas de empresas que actuam sem qualquer respeito pelos trabalhadores e pelos países que as acolhem.

Será que não há alternativas às marcas do universo General Motors?
É claro que sim.


Agora imagine-se que a GM deixa de vender em Portugal e amanhã deixa de vender em Espanha!
Mais, será que a Auto Europa ou a Citroen em Mangualde não pensarão duas vezes antes de fecharem as suas fábricas em Portugal?

Actualmente o grupo GM é dono de marcas de todo o mundo, como a Buick, Cadillac, Chevrolet, Pontiac, Saturn, GMC, Hummer, Holden, Vauxhall, Saab e Opel. É ainda parceira da Isuzu, Subaru, Suzuki e Lada.

terça-feira, março 07, 2006

1.071.100.000€

Bonito número este. Pois é, resultados record de uma empresa portuguesa – a EDP. Eu diria mais: insultuosos para todos nós consumidores sem opção de escolha no fornecedor de energia.
A energia vendida por esta empresa chega a nossas casas a 10,1 cêntimso/kwh enquanto num tarifário equivalente da Hidrocantábrico se paga 8,6 cêntimos. Hidrocantábrico é uma empresa espanhola controlada pela EDP.
Então o que justifica esta disparidade de preços?
Parece-me bastante simples. Num país existe uma entidade reguladora e um governo que se preocupa com as pessoas e a competitividade das empresas. Por cá já todos sabemos o que nos espera, continuaremos a pagar a energia mais cara e as nossas empresas continuarão a perder para as suas congéneres espanholas pois a factura continua a pesar, em demasia, nos seus custos de exploração.
Vozes discordantes? Parece que não as há. Parece que anda tudo anestesiado pelo efeito OPA e esquece-se que deve haver concorrência também no fornecimento de energia e se deve proteger o consumidor.
Nas telecomunicações toda a gente se questiona sobre o preço das comunicações, assinaturas, falta de concorrência, etc. Então e na energia eléctrica? Seria de esperar que pelo menos deixássemos de pagar o aluguer do contador, que o tarifário fosse mais próximo dos valores praticados em Espanha!

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

A OPA Perfeita

A Lisbon Brokers fez uma antevisão dos resultados de 2005 da Sonaecom em que prevê que a empresa reporte um lucro líquido de 1,4 milhões de euros, uma queda de 92% em termos homólogos. Isto implica um prejuízo de 5,9 milhões de euros no quarto trimestre de 2005.
Desta forma, os analistas da Lisbon Brokers estimam que as receitas tenham caído 3,6%, em termos homólogos, para os 855 milhões de euros, com uma subsequente queda de 19% em termos homólogos no EBITDA para os 162,6 milhões.

É esta empresa gerida desta forma irrepreensivel (assim dizem muito experts da matéria neste país) que vai comprar a maior empresa de Portugal?
Como diz um amigo meu "a Sonae.com está á beira do precipicio financeiro e então dá um passo em frente..."
Até sempre
O OlhoVivo

Claro como a água cristalina
As regras de abertura dos centros comerciais podem estar feridas de inconstitucionalidade. Um parecer vai contra a prática usada pelos grandes grupos de distribuição, que aproveitam as licenças concedidas para a abertura de supermercados e pedem a sua modificação para construírem centros comerciais.
Este “expediente” aproveita uma lacuna da Lei 12/2004 e tem poupado milhões às grandes empresas de distribuição, que ficam isentas do pagamento da taxa de autorização de 25 euros por m2 que deveria reverter para o Fundo de Apoio aos Empresários Comerciais.
A empresa de Belmiro de Azevedo argumentou que a abertura do centro comercial não deveria estar sujeita à autorização definida pela Lei 12/2004, uma vez que o Grupo já possuía um estabelecimento comercial (um supermercado da marca Modelo) na mesma cidade. Assim sendo, a construção do centro comercial seria suportada por um pedido de “modificação” da licença concedida para o supermercado.
Se a pretensão da Sonae Sierra vier a ser aprovada, significa uma poupança de meio milhão de euros.
O grupo liderado por Belmiro de Azevedo já abriu 93 lojas ao abrigo da nova Lei 12/2004, todas foram devidamente autorizadas pela DGE.
http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=192125&idselect=11&idCanal=11&p=94


Sabem, esta notícia apareceu ontem no CM e é a ponta do Iceberg.
Estas “lacunas“ da lei são tudo menos “lacunas”. Isto é um exemplo real (e devem existir dezenas) da força que têm os empresários na “definição” das leis para que sejam deixados buracos para eles pagarem menos impostos.
Isto é bastante claro e nestes casos só existe uma coisa a fazer :
Ou se despede o legislador por imcompetência já que lesou o estado em sei lá quantos milhões;
Ou vai preso por corrupção;

O resto do combate à fuga aos impostos é blá, blá, blá para o povão. Os tubarões passam por cima destes governantes da treta e pelo caminho ainda são capas de revista a dizer que “vieram“ todos do trabalho duro e que contruiram a fortuna a “pulso”.
Viva Portugal
O OlhoVivo

This page is powered by Blogger. Isn't yours?